Irã avisou ao Iraque que iria atacar bases militares dos EUA

Iranianos comemoram ataque contra bases americanas no Iraque, em 8 de janeiro de 2020 — Foto:  Nazanin Tabatabaee/WANA/Via Reuters
O primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdul Mahdi, recebeu uma mensagem prévia do Irã alertando que uma resposta à morte do comandante Qassem Soleimani era iminente ou estava a caminho, informou nesta quarta-feira (8) o porta-voz da autoridade em um comunicado. Duas bases no Iraque que abrigam forças americanas e iraquianas foram atingidas por mais de uma dúzia de mísseis iranianos na noite de terça-feira (7) — madrugada de quarta (8) no horário local.

Os complexos atingidos foram Ain al-Assad, em Anbar, e Harir, em Erbil, ambos considerados estratégicos para a operação militar dos Estados Unidos na região e para o combate ao grupo Estado IslâmicoO Irã informou a Abdul Mahdi que visaria apenas instalações que abrigavam forças norte-americanas no Iraque, mas não as especificou quais, afirmou o porta-voz do primeiro-ministro.

O premiê recebeu uma ligação dos Estados Unidos simultaneamente à queda dos mísseis nas bases, segundo o comunicado. A Guarda Revolucionária do Irã assumiu a responsabilidade pelos lançamentos dos mísseis a ambas as bases.

Não houve relatos de mortes. Em um breve comunicado, as forças militares internacionais e do Iraque afirmaram que não registraram perdas. Foram 22 mísseis, de acordo com o Comando Unificado em Bagdá.

Segundo avaliação inicial dos Estados Unidos, os mísseis atingiram áreas da base que não eram ocupadas por norte-americanos. Um militar dos EUA afirmou à rede de televisão CNN que as forças armadas tiveram um aviso antecipado do ataque, e que as pessoas tiveram tempo de se abrigar em bunkers.

A principal base, Al-Asad, fica em uma região sunita (o Irã é um país xiita). Foram 17 mísseis contra essa base — dois deles não atingiram o alvo, mas não chegaram a explodir.

Sem vítimas da Otan

Secretário-geral da Otan condena ataque e diz que não houve mortes entre os integrantes da coalizão. Uma autoridade da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) afirmou que não houve vítimas entre as tropas de sua missão em treinamento no Iraque.

Jens Stoltenberg, o chefe da Otan, condenou o ataque com mísseis. "A Otan exorta o Irã a se abster de mais violência", ele publicou em uma rede social.

Resumo dos acontecimentos:

Cerca de 20 mísseis foram lançados pelo Irã contra duas bases no Iraque que abrigam forças americanas e iraquianas.
O Pentágono confirmou o ataque; o Irã assumiu a responsabilidade e ameaçou realizar ataques dentro dos Estados Unidos se os americanos revidarem a ofensiva.
A ação é uma vingança pelo assassinato do general iraniano Qassem Soleimani.
Houve relatos iniciais de vítimas iraquianas, no entanto os casos não foram confirmados.
O presidente norte-americano, Donald Trump, tuitou em resposta ao ataque: "Está tudo bem!"
O preço do petróleo subia no mercado futuro por volta de 22h (horário de Brasília), mas na manhã desta quarta-feira os preços passaram a cair.

Fonte: G1